domingo, 21 de fevereiro de 2010

O Vulcão não aguentou a volta Guimarães - Fermil de Basto

Às 7h30 estavamos prontos para arrancar, quando chegou o Nel e, mais tarde ainda, o Augusto!
Desta vez, como não tinha mais novidade nenhuma, decidiu "luxar" o dedo para ter algo para contar.
Grupo de saída da casa do Keitas.
Aquecimento pelo parque, com o Keitas a puxar pelo ritmo...
Atrás ia tudo com tempo.
Já na ciclo via, a tendência confirmava-se!
Comigo a ficar no meio dos dois grupos.
Já depois de atacar o primeiro pedaço de terra.
As complicações começaram aqui.
O terreno parecia cola e o atalho que o Keitas se lembrou faz jus ao ditado!
O terreno ficava cada vez mais complicado.
E ingreme!
Foi preciso muita força de vontade para não voltar para trás!
Nesta fase já a carregavamos e não sabiamos a história pela metade.
Aqui... bem, como podem ver pelo Rui e pelo Paulo a solução só podia ser pelos lados!
Por isso é que fomos em frente!!! Esta, sem sobra para dúvidas, foi a foto do dia.
Os homens do GPS estavam bem dispostos...
Nós faziamos os possiveis para chegar cá cima!
Aqui o Vulcão, com o seu impermeavel amarelo cintado e os leggins, já mostrava um sinal do que viria a acontecer, teve que ser o Augusto, com uma luxação no polegar, a carregar a bicla dele!
Depois de entregue!
Grande paragem no Café Desportivo Casa Pasto!!!
Depois de uns croissants deliciosos seguimos viagem.
Por causa do alpinismo já estavamos molhados e ensopados.
Os amarelos do dia.
Depois de uma boa descida.
Caminho espetacular.
Paulo, novo companheiro destas aventuras, esteve à altura.
Aqui está ele novamente depois de um 360 executado com muita mestria.
Mais um reagrupamento.
Tempo para a foto de grupo, o Filipe ficou encarregue da maquina do Sempreapedalar.
Grupo inteiro, o Paulo como é novato desenquadrou-se no último segundo.
Vulcão a tentar...
Mas a verdade é mesmo esta.
Há com cada uma no monte...
Paisagem espetacular.
Eles estavam com o pedal todo. O Keitas, Oscar, Filipe e Paulo andavam sempre à frente a puxar pelo grupo.
O outros ainda vinham lá trás.
Augusto e Vulcão muito lá atrás.
A melhor água de Fafe!!!
Como estavamos atrasados e já cansados, pelo menos alguns, decidimos fazer uma parte pela estrada, embora mais longo, o percurso pela estrada deu para poupar algumas forças.
O Vulcão é que já não ia nem com terra nem com asfalto, a coisa só ia com cabrito mas ainda faltava muito.
O Augusto mantinha a boa disposição e a luxação.
Os sitios por onde passamos...
Primeiro sinal do fim, o Vulcão e o Augusto foram ultrapassados por todos num caminho espetacular, onde os travões eram totalmente proibidos, eu que o diga, quando tentei travar quase que provei o sabor da pedra, mas ainda consegui recuperar a frente.
Mais uma passagem bonita.
O meu especial obrigado ao Filipe, que decidiu abrir o portão e assim não precisei de carregar a mula mais uma vez.
Aqui fica a evidência fotográfica do fim do passeio.
E o Augusto continuava como costume!
Aquilo das câimbras dá sede.
E lá arrancaram.
Paulo a deixar como encontramos, boa!
Entretanto tratamos de alterar o combinado com as "queridas" que nos íam buscar.
Nunca levem uma moto para fazer o trabalho de uma bicla!
Mais uma vez a carrega-la.
Pormenor do impermeavel cintado e mais uma vez uma paisagem espetacular.
Paulo a fechar o grupo.
Por fim chegamos ao novo ponto de encontro, Vulcão a tapar as pregas com as mãos.
O modelito foi admirado por todos.
Como sempre: juntos até ao fim.
Esta gostava que me explicassem melhor!
Por fim para aquecer, e como a mulher do Paulo (o novo) chegou mais cedo, jogamos uma futebolada que soube pela vida, apenas o Filipe-anti-social é que continuou a pedalar!!!
Chegados ao restaurante tivemos o prazer de sermos servidos pelo Augusto.
Que destibui as iscas de figado pela mesa toda, como se pode ver na foto o Vulcão já trocara o impermeavel cintado e já dava ao garfo com força!
O almoço estava uma maravilha, parabéns ao cozinheiro.
Com o mau tempo que apanhamos não nos divertimos tanto como deviamos, mas não deixamos de o fazer, fizemos caminhos espetaculares, comemos maravilhosamente e o convivio com a familia foi muito agradavel.
Obrigado Keitas por todo tempo e suor perdido nesta aventura.

2 comentários:

Vulcão disse...

Obrigado!
Eu que sabia que as expectativas em relação à minha pessoa eram elevadas, mas nunca pensei fossem assim tanto....

Pinho Castro disse...

as expectativas à tua pessoa eram tão elevadas como às outras pessoas presentes, ou seja, chegar ao fim. Se achas que é muito...